1. Interligando microcontroladores a outros dispositivos


Introdução

       Como escrito anteriormente, os microcontroladores possuem entradas e saidas, analógicas e digitais, totalmente integradas em si mesmos. Para tornarem-se úteis, é importante saber como ligar um pino de E/S (I/O) de um microcontroador a um dispositivo periférico.


As entradas / saidas digitais

   O foco destas paginas se dará sobre um modelo genérico de microcontrolador, de forma que o leitor deverá adaptar os circuitos aqui mostrados ao seu caso particular, caso seja necessária esta adaptação.

    De modo geral, existem três modos comumente usados de se ligar um pino de E/S de um microcontrolador a um dispositivo periférico qualquer: a ligação direta, a ligação via interface e a ligação indireta via optoacoplamento. Cada método tem limitações, vantagens e desvantagens.

Interligando diretamente um dispositivo num pino de E/S de um  microcontrolador

    Na ligação direta, como o próprio nome indica, o dispositivo periférico fornece ou retira corrente do pino de E/S do microcontrolador. Como é de se esperar, existem sérias limitações que precisam ser respeitadas, sob pena de se queimar o microcontrolador. Primeiramente, existem tensões e correntes máximas que podem ser fornecidas e/ou drenadas a/de um pino de E/S de um microcontrolador. É necessário ler o datasheet do microcontrolador para verificar estes limites.
    De modo geral, entretanto, os microcontroladores mais comuns usam os padrões TTL (transistor-transistor logic) ou CMOS (complementary metal-oxide-semiconductor)




Subpáginas (1): O barramento PC ISA
Comments